6 dicas para declarar o Imposto de Renda corretamente

6 dicas para declarar o Imposto de Renda corretamente


Brasileiros têm até 30 de abril para entregar o documento referente a 2018; a organização é fundamental para não cair na malha fina

O ano começa com uma lista de impostos a pagar. Um dos mais ‘temidos’ pelos brasileiros, o Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF), já iniciou o período para declarações. Neste ano, os contribuintes que receberam mais de R$ 28.559,70 de renda tributável ou tiveram ganhos superiores a R$ 40 mil isentos em 2018, não tributáveis ou tributados na fonte, têm até o dia 30 de abril para baixar o programa de declaração e enviar as informações de seus gastos.

Com as mudanças instituídas pela Receita Federal desde o ano passado, alguns dados solicitados na declaração de 2019, ano-base 2018, tornam-se obrigatórios este ano. Por isso, é preciso estar atento na hora de preencher o documento. Para que você não caia na malha fina, respondemos cinco dúvidas comuns dos contribuintes ao preencher e enviar o Imposto de Renda.

1. Qual a documentação necessária?

Para evitar erros e omissões, é fundamental se organizar nesta hora. Após baixar o programa no site da Receita Federal, reúna documentos básicos, como dados cadastrais (CPF, RG, título de eleitor e outros) e informes de rendimento do empregador, do banco e da corretora, caso possua investimentos. Também é preciso separar comprovantes de escola e/ou faculdade, de consultas médicas e odontológicas e de doações, além do registro de bens como carros e imóveis.

2. Faço a declaração simplificada ou completa?

Com o programa baixado e os documentos em mãos, preencha os dados. Para escolher o tipo de declaração a ser feita, avalie o que foi gasto no ano. Caso as despesas pessoais e dos dependentes ultrapassam o limite de R$ 16.754,34 por ano, opte pela completa. Para quem tem poucas despesas dedutíveis, o modelo simplificado é a melhor alternativa, pois considera um desconto padrão de 20% sobre a base de cálculo do imposto. Se houver dúvidas, consulte a janela “Opção pela Tributação”, disponível no programa, e verifique qual é mais vantajosa.

3. O que muda em 2019?

As informações adicionais exigidas não são surpresa; muitas já constavam nas declarações de vários contribuintes em 2018. A diferença é que este ano torna-se obrigatória a inclusão do CPF de todos os dependentes, independentemente da idade, além de informações relativas ao Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) e ao Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam).

4. Devo declarar antes ou deixar para a última hora?

Outra dúvida é quanto ao prazo de entrega do IRPF. A melhor opção é declará-lo o quanto antes. Além de evitar possíveis congestionamentos do sistema, quem possui direito à restituição receberá o dinheiro mais rápido. Mais uma vantagem é o maior período para corrigir possíveis erros, evitando que o contribuinte perca o prazo e pague multa de R$ 165,74 a 20% do imposto sobre a renda devida.

5. Posso corrigir os dados depois de enviados?

Até o dia 30 de abril, as informações podem ser alteradas no próprio programa, sem nenhum prejuízo. Já os erros percebidos depois do prazo poderão ser feitos em até cinco anos, desde que o contribuinte não tenha caído na malha fina ou esteja sob investigação da Receita Federal. A correção poderá ser feita pelo programa do ano correspondente ou pelo site do órgão fiscalizador.

6. Em caso de dúvidas, onde posso buscar atendimento gratuito?

Para orientar as pessoas que têm dúvidas sobre a declaração, os núcleos de Apoio Contábil e Fiscal (NAF) e de Apoio Empresarial (NAE) da Faculdade Senac oferecem assessoria para preenchimento e envio do Imposto de Renda 2019. Os interessados devem comparecer ao local munidos da documentação necessária, como informes de rendimentos de 2018, registro de imóveis e comprovantes de aposentadoria, de pensão, além de documentos pessoais.

Endereço e horários de atendimento:

Faculdade Senac – Campus Contagem
Rua das Paineiras, 1.300, bairro Eldorado – Contagem/MG
Data: até 25 de abril
Segunda-feira: 18h às 18h50
Quarta-feira: 18h às 21h30 (neste dia, também serão atendidos os contribuintes hipossuficientes de baixa renda)
Quinta-feira: 18h às 18h50

Quer saber mais sobre o tema?

A gerente executiva de Contabilidade e Finanças da Fecomércio MG, Luciene Franco, esclarece algumas dúvidas sobre como declarar o IR e lista os 5 erros mais comuns ao preencher a declaração.